Desenvolvedor web: qual a diferença entre front-end, back-end e full-stack?

Você conhece as diferenças entre o desenvolvedor front-end, back-end e full-stack? São tantos termos em inglês que fica ainda mais confuso, não é mesmo? Mas não se preocupe, porque preparamos um texto que vai ajudar você a tirar todas as dúvidas.

Se há um consenso entre os programadores e desenvolvedores no mercado de tecnologia, é que alguns termos da TI adoram pregar peças e confundir os profissionais. E quando falamos do desenvolvedor web, diferenciar as áreas de front-end, back-end e full-stack é bastante comum. Mas não precisa ser assim!

A área de desenvolvimento web está em alta no mercado, graças às readaptações de muitas empresas para o ambiente online. Com os negócios migrando cada vez mais para o digital, é preciso formar profissionais capacitados para lidar com as demandas, por meio da criação de sites mais responsivos, sistemas de comunicação eficientes e layouts atrativos para os clientes.

Como boa parte das profissões ligadas ao setor da Tecnologia da Informação, o desenvolvimento web também possui suas subáreas, afinal cada etapa do processo de criação e desenvolvimento demanda um profissional específico para o trabalho. 

Por isso, compreender as diferenças entre front-end, back-end e full-stack é fundamental para quem quer iniciar uma carreira como desenvolvedor. Você sabe o que cada um desses profissionais realiza? O que você deve saber para trabalhar com cada uma dessas áreas? 

São tantas dúvidas, que resolvemos produzir um texto completo para ajudar você a tirar todas as dúvidas sobre as carreiras envolvendo o desenvolvedor web. Acompanhe a seguir e entenda melhor cada uma delas!

O que é um desenvolvedor front-end?

Para que uma marca exponha seu trabalho nos ambientes digitais, é preciso muito mais do que um site visualmente bonito. Vender produtos online exige uma plataforma pensada diretamente para a satisfação do cliente final, isso é: com acesso fácil, sistemas inteligentes e feedback rápido.

O desenvolvedor front-end é o responsável direto por todo o aspecto visual do site, e isso inclui botões facilmente localizados para facilitar ao usuário uma navegação agradável, além de imagens bem alocadas e letras em tamanhos compreensíveis. Como você já deve ter percebido, há um trabalho em conjunto com o designer!

Enquanto a parte criativa fica de responsabilidade do designer, o desenvolvedor é quem implementará as ideias por meio de códigos de programação e de outros recursos responsivos. É responsabilidade desse profissional realizar testes na plataforma antes mesmo de ela ir ao ar, além de cuidar da parte de manutenção e reparos.

Portanto, quando falamos do desenvolvedor front-end, podemos resumir o trabalho dele em uma rotina que envolve algumas dessas atividades:

  • Trabalha com ferramentas como HTML, CSS e outros softwares de programação;

  • Responsável por planejar, produzir e colocar as páginas web no ar;

  • Em conjunto com a área de design, produz materiais responsivos e de acordo com o planejamento de marca da empresa;

  • Testa o site durante o processo de desenvolvimento e corrige possíveis falhas que possam prejudicar a eficiência da ferramenta.

Como você pode perceber, o desenvolvedor front-end é considerado praticamente uma ponte entre o designer e o desenvolvedor back-end, que vamos detalhar a seguir. Portanto, ele contribui para uma das etapas mais importantes do processo criativo, já que o visual de um site diz muito sempre uma empresa.

O que é um desenvolvedor back-end?

Agora que você já sabe o que faz o desenvolvedor front-end, responsável por toda a parte do site vista pelos clientes, fica bem mais fácil compreender o papel do desenvolvedor back-end no processo todo de desenvolvimento web. 

Como o próprio nome já sugere, esse profissional será responsável por toda a parte que o usuário geralmente não enxerga; a parte estrutural do site. Isso é: a configuração interna das ferramentas, os códigos-fonte, o HTML etc. É ele quem cuidará de todo o esqueleto interno dos softwares digitais.

A equipe de back-end é responsável por toda a parte, digamos assim, dos bastidores. São eles que ficam “por trás das câmeras” organizando toda a parte técnica e estrutural, para garantir que todas as funcionalidades dos sites ou aplicativos funcionem de maneira adequada.

Então, quando resumimos o trabalho do desenvolvedor back-end, podemos afirmar que suas tarefas em boa parte seguem essa linha:

  • Se utiliza de frameworks para desenvolver softwares e aplicativos;

  • Tem conhecimento em linguagens de programação usadas para o ambiente digital, como Python, Javascript, Ruby e PHP;

  • Desenvolve e controla Sistemas de Gerenciamento de Conteúdo;

  • Trabalha com a criação de bancos de dados para integração e análise de dados em nuvem.

O desenvolvedor back-end tem como principal função manter o site em funcionamento, sem falhas e possíveis ataques. Ou seja, grande parte da responsabilidade de manter um site no ar cabe a esse profissional, e por isso ele é tão valorizado nas empresas de TI.

O que é um desenvolvedor full-stack?

Seguindo a lógica do texto e agora que você já entendeu como funcionam as áreas de front e back-end no desenvolvimento web, tratar do desenvolvedor full-stack parece até óbvio demais, não é mesmo? 

Essa é, sem dúvidas, o suprassumo da área de desenvolvimento para o mercado de tecnologia, e seu nome revela uma certeza que você já deve ter entendido: o desenvolvedor full-stack é o profissional que consegue trabalhar com as duas frentes de trabalho que apresentamos anteriormente. Ele é, literalmente, o faz tudo.

Por ser um profissional completo e capaz de mesclar por várias áreas de conhecimento, é hoje o mais procurado por empresas ligadas ao setor tecnológico. Além de dominar as áreas de front e back-end, o desenvolvedor full-stack ainda possui em seu portfólio as habilidades de designer e programador.

Esse é um caminho praticamente certo para quem inicia na área de front ou back-end, afinal conforme você for ganhando experiência e evoluindo seus conhecimentos, se tornará um profissional cada vez mais completo. Portanto, é um caminho sem volta para quem opta pela carreira na área.

Então, podemos dizer que o profissional full-stack desenvolver uma vasta lista de trabalhos, que podemos resumir como: 

  • Tem profundo conhecimento em desenvolvimento front e back-end

  • Trabalha toda a parte visual e também de estruturação dos sites e aplicativos;

  • Possui habilidades para desenvolver ferramentas mobile desde o seu princípio até o momento de execução;

  • Consegue navegar por áreas do Design e também de outros processos criativos do desenvolvimento.

Agora que você já conhece as diferenças entre as áreas de front-end, back-end e full-stack, fica mais fácil de escolher o curso ideal para iniciar a carreira ou mesmo se especializar ainda mais para conquistar oportunidades na carreira. 

Conheça os cursos da Skill Lab e comece hoje mesmo a desenvolver suas habilidades!

Saiba mais sobre o curso de Full Stack

Saiba mais sobre o curso de Front End

NOSSOS CURSOS ESTÃO COM UM DESCONTÃO
Entre em contato com a nossa equipe agora mesmo